Mulher Linda (um desabafo sobre assédio)



OI, MENINXS, TUDO BOM? Esse texto que lhes apresento hoje é um texto que fiz á uns meses atrás, sobre uma experiência minha muito desagradável de assédio. E, como o intuito desse Blog é de ajudar a todas e todos, acredito que a melhor forma de ajudar é divulgando a situação na esperança de que ao menos um dia isso deixe de ser realidade DIÁRIA de MUITAS mulheres! Segue o texto "Mulher linda":


“Mulher linda”, e a ficha finalmente caiu. “Mulher linda”, ele disse, como se eu fosse comida á ser degustada, como se eu fosse um objeto a ser avaliado. “Linda” foi a definição que ele deu, a definição que eu nunca pedi, de um corpo que era meu e que ele tomou como seu, que ele tomou para avaliar como bem quisesse. “Mulher linda” um deles falou após os olhares que ambos direcionaram para o meu corpo, após o sinal que um fez para o outro para olhar pra mim, pra avaliar a mim e meu corpo, ignorando minha condição de ser humano, ignorando que a pele que reside em mim, reside neles também, e também o sentimento de querer ser tratada como um igual em uma cultura que me objetifica. E assim eu lembro de todas as histórias de assédio que vi pela internet, por jornais e até mesmo entre conhecidos, e que, mesmo indignada desde cedo com todas elas, nunca senti a seriedade delas, nunca senti exatamente  que elas sentiram. Mas naquele momento o medo fora imenso, racional ou não, eu apenas olhava continuamente para trás, sem acreditar que havia mesmo vivido aquilo, e com medo que eles viessem e resolvessem conhecer mais do meu corpo, corpo que eu nem reconhecia mais como meu, corpo esse que fora tomado, tachado, tudo que eu imaginava era tatuado na minha testa um imenso “Mulher linda”, será que era isso que me definia? Será que era apenas isso que eles viam em mim? Será que todos viam o mesmo? Eu que sempre fora uma pessoa de auto-estima baixa, uma pessoa que qualquer elogio me agradava, me enchia de sorrisos, com aquele “linda” só queria chorar, ou então esmurrá-los para que aprendessem que nem eu, nem nenhuma das mulheres que passaram por isso, pedimos nenhum elogio, nunca pedimos nenhuma avaliação, nunca demos “osadia”, como eles costumam falar. Aquele olhar me fez sentir como uma carne no açougue, pendurada, á exposição, para o próximo que quisesse me degustar, para o próximo que quisesse me levar, era como se o meu corpo estivesse ali para qualquer um, menos para mim mesma, que já perdera o controle, que nada podia fazer, se abrisse a boca para reclamar seria apenas mais uma notícia de jornal sobre “jovem de 16 anos violentada”, ou morta, estuprada. Parece exagero? Pois para mim não foi, quem lê não sente na pele as batidas no meu coração, minhas constantes olhadas assustadas para trás, meu passo um pouco mais acelerado e a noção de que essa experiência seria a primeira de muitas outras que ainda ficarão na minha memória, ou então era mais uma entre as outras que eu posso ter experienciado sem a noção do que aquilo significava. O que significa? Eu poderia explicar de diversas maneiras, perder meu tempo me justificando em todas elas, mas vou definir de forma simples e direta: Machismo. Sei ainda que enfrentarei os muitos que perguntarão que roupa eu vestia e fico triste, porém digo orgulhosa que estava usando a mais comprida das minhas calças, a mais sem graça das minhas blusas grandes de manga, que não mostram nem o começo da minha clavícula, nem o contorno dos meus peitos, nem as curvas da minha cintura (já que esses são alguns elementos que vocês avaliam, não é mesmo?), digo orgulhosa que, mesmo não mostrando nada que pudesse ser considerado culturalmente como “vulgar”, meu corpo tornou-se objeto em questão de segundos. Não foi um short, uma saia, um decote, nada disso tornou meu corpo um objeto. Foram os olhares daqueles homens, e de muitos outros que talvez só não tenham tido o descaramento, daquele que ficará na minha memória para sempre, de evidenciar em voz alta toda uma cultura machista que está enraizada nele e em todos os outros, em todos nós. “Mulher linda” não foi um elogio, foi uma objetificação. “Mulher linda” não melhorou minha auto-estima, me fez apenas enxergar o pedaço de carne que vêem quando me olham, “mulher linda” não me deixou feliz, me encheu de medo, me encheu de raiva, me fez querer chorar, correr, sumir do mundo, sumir de mim mesma, “mulher linda” não me empodera, apenas me resume á condição que a sociedade e a cultura machista presente nela me condenou ao me registrar como “mulher”, “mulher linda” me mostrou que hoje é “linda”, amanhã é “gostosa” e depois é apenas estuprada e morta, é apenas mais um número nas estatísticas, mais um anúncio no jornal, enquanto homens iguais àqueles que me violentaram (SIM, violentaram, com olhares, com pensamentos, com palavras direcionadas a mim, palavras que nunca pedi, palavras que nunca imaginei que fosse receber) vão á igreja pedir ajuda á Deus, ou pior ainda, á Maria, mulher. Imagino eles vendo a Santa Maria andando na rua e chamando-a de “mulher linda” ou gostosa, imagino apenas, me contento com a raiva de imaginar. Esses que se dizem “cidadãos de bem” nem sabem o que causaram na mente de uma garota de 16 anos, e nunca saberão, nunca estarão na minha pele, nunca sentirão o que eu senti e, mesmo com toda a raiva que reside em meu corpo objetificado nesse momento, não posso fazer eles sentirem o que senti, e isso apenas me revolta. E para todos aqueles que lêem isso e lembram-se das vezes que já fizeram isso com uma mulher, saibam que o único sentimento que dirijo a vocês é nojo, e a felicidade de saber que, pelo menos dessa vez, nenhum de vocês irá encostar suas patas machistas no meu corpo sagrado, meu corpo que carrega a história de muitas que resistiram e resistirão. Hoje eu só quero chorar com isso, é verdade, hoje eu serei taxada de exagerada, dramática, afinal “foi apenas um elogio”, não é mesmo. Hoje esse homem caminhará normalmente e seguirá sua vida feliz enquanto faz isso (ou coisas piores) com muitas outras mulheres, enquanto eu saio marcada, enquanto eu saio sem poder deletar isso da minha mente, saio assustada sabendo que é apenas a primeira, é “APENAS” a primeira. É verdade, hoje eu só saio triste, só saio com raiva, hoje eu só saio com medo. Mas pode ter certeza( e digo isso com orgulho, não me importa que eu soe violenta, pois violento mesmo foi aquele olhar, violento mesmo foi o que as imaginações deles devem ter pensado em fazer comigo, violento mesmo foi ele sentir-se no direito de abrir a boca para avaliar o meu corpo, o MEU corpo, violento é o machismo) enfim, pode ter certeza que depois dessa é punho pra cima, eu e minhas companheiras, é cabeça erguida, eu e meu “bonde”, eu e muitas “mulheres lindas”, pode ter certeza que não terei medo de repetir o que um dia ouvi em uma palestra da Ângela Davis, quando em coro as mulheres profetizaram a era que ainda estarei viva para ver, a era em que os homens sairão daqui “COM MEDO DE BUCETA!”.

E aí? Gostaram? Não tem como gostar do acontecimento, né? Mas espero que tenham gostado do texto! Segue algumas imagens MARAVILHOSAS que encontrei no Pinterest que servem perfeitamente para esse assunto:


 Enfim, é isso gente! Infelizmente estamos rodeadas de uma cultura que objetifica nossos corpos e nos faz achar normal (ou até bom) sermos assediadas em espaço PÚBLICO, dou ênfase ao público, pois é de todos, é de TODAS, mas não é o que parece para nós mulheres, não é mesmo?
Obrigada pela atenção de vocês e, se quiserem, compartilhem aqui histórias de assédio de vocês nos comentários, ou se preferirem algo privado, segue aqui meu email: jujumota2001@gmail.com
 E nossa mensagem final é #Chegadefiufiu

#Ubuntu


Comentários

  1. Meu Deus do Céu que maravilhosidade de texto é essa?? Amiga eu compartilho dessa sensação com vc é outras milhões de mulheres e espero do fundo do coração que toda essa dor que sofremos hoje um dia seja cessada. Eu simplesmente amei esse texto tipo, AMEI! Por favor, não deixe de compartilhar comigo e com as nossas amigas as suas situações de dor pois estamos aqui pra te ajudar em todas as situações boas e ruins. Te amo muito! ❤😘

    ResponderExcluir
  2. Eu também espero sinceramente que um dia essas situações acabem, por isso mesmo compartilho aqui PQ TEM QUE EXPOR MEEEESSMO! Mas muito obrigada pelo apoio, amore, tbm te amo mt♥♥

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas